APARECIDA – ENGº COELHO – MUSEU DE ARQUEOLOGIA BÍBLICA (MAB) – HOLAMBRA – APARECIDA (SP) – JULHO 2024

O objetivo desta viagem foi visitar o MAB – MUSEU DE ARQUEOLOGIA BÍBLICA, em ENGENHEIRO COELHO (SP). Como a distância é de 544 kms, cerca de 6 horas de viagem, decidimos fazer Rio de Janeiro – Aparecida e Aparecida – Engenheiro Coelho. Assim, nossa viagem começou em 01/07/2024 e tivemos a companhia do amigo Eduardo Magalhães.

> 01/07/2024, fizemos a primeira parte de nossa viagem, cumprindo 236 km até Aparecida, onde ficamos hospedados no HOTEL PORTO REAL***, Avenida Itaguaçu, 2850, onde já havíamos ficado hospedados e que é muito agradável.

Depois do check-in, fomos almoçar no AUGUSTO RESTAURANTE E PETISCARIA, do mesmo dono e qualidade do AUGUSTO PIZZARIA, que já conhecíamos, Rua Barão do Rio Branco, 360. A pizzaria fecha às 2as feiras e o restaurante fecha as 4as feiras e recomendamos ambos.

Já estava agendada uma visita monitorada de aproximadamente 1 hora à recém inaugurada FACHADA SUL do SANTUÁRIO NACIONAL DE APARECIDA, segunda parte do PROJETO JORNADA BÍBLICA, que contempla a vida de Cristo: *como Deus preparou a humanidade para receber seu Filho; *a Encarnação do Verbo e sua Paixão e Morte e *a forma como sua Palavra se estende na ação evangelizadora da Igreja. A visita tem de ser agendada , o que você poderá fazer através do WhatsApp (12) 99706-4383, ao custo de R$ 70,00/pessoa e vale cada centavo.

> 02/04/2024, saímos de Aparecida com destino à Engenheiro Coelho a 308 km. Nos hospedamos no CAMPUS da UNASP – Centro Universitário Adventista de São Paulo – Campus Engenheiro Coelho, Estrada Municipal Pastor Walter Boger, s/nº, onde há uma hospedagem de excelente nível, o VILLAGE INN, que precisa ser agendado com antecedência, porque a procura é maior que o nº de apartamentos. Para reservar, ligue (19) 99625-8631 com Sara, que é uma anfitriã de primeira, disposta a deixar os hóspedes plenamente atendidos. A hospedagem dá direito há três alimentações no bandejão da Universidade e custa R$ 292,00/diária/casal.

Aproveitamos para caminhar e conhecer o Campus, que é uma cidade, com vida própria. Trata-se do maior internato da América Latina. Conta com residenciais feminino e masculino, academia interna e externa, complexo esportivo, enfermaria, biblioteca, Escola de Artes, Escola de Esportes, Instituto de Línguas, Igreja e muito mais.

Em 03/04/2024, tínhamos agendada uma visita guiada (monitor Thiago) ao MUSEU DE ARQUEOLOGIA BÍBLICA, fechado às 2as e 3as feiras, gratuito na primeira 4ª feira do mês. O Museu é um sonho da UNASP desde quando a instituição recebeu seus primeiros artefatos, em doações do Dr. Paulo Bork, na década de 1990. O ano de 2023 marcou o ápice desse sonho, com a inauguração do prédio do MAB em 13/11/2023, com impressionante coleção de aproximadamente 3 mil peças originárias de várias partes do mundo, desdobrada ao longo de mais de 4500 anos de história (de 3 mil a.C. a 1500 d.C.) divididos em nove períodos desde o Bronze Antigo até o período Bizantino:

  • Introdução à Bíblia
  • 3300 – 1900 a.C. Bronze Antigo
  • 1900 – 1550 a.C. Bronze Médio
  • 1550 – 1200 a.C. Bronze Tardio
  • 1200 – 550 a.C. Período do Ferro
  •   550 – 350 a.C. Período Persa
  •   332 –   63 a.C. Período Helenístico
  • 63 a.C. – 324 d.C. Período Romano
  •    324 – 1453 d.C. Período Bizantino

Cada espaço foi ambientado com imagens, cores, formas e elementos cênicos característicos do período correspondente. Cenários, cheiros, sons, imagens, desenhos e ilustrações, mapas e infográficos aumentam a experiência imersiva do visitante.

São coleções arqueológicas, de numismática e obras raras. Estão expostos artefatos de cerâmica, faiança, bronze, ferro, vidro, pedra, prata, etc.

80% são peças originais que se somam às réplicas do Código de Hamurabi, da Pedra de Roseta, do busto de Nefertti, da múmia de Ramsés, do sarcófago de Tutancâmon, entre outras. Uma maquete ma-ra-vi-lho-sa de Jerusalém dos dias de Jesus permite visualizar o contexto em que Ele viveu.

Na área externa, há o Jardim da Bíblia, com 17 espécies de árvores mencionadas na Bíblia – cedro, oliveira, tamareira, videira, romeira etc. – distribuídas de forma paisagística e ornamental. Entre as árvores, plantas bíblicas como o joio, o trigo, o papiro, entre outras, foram espalhadas. Há ainda réplicas em tamanho natural de importantes ambientes mencionados no texto sagrado, como uma tumba escavada na pedra, um moinho de trigo, uma prensa de azeitonas e um altar de sacrifício. O Jardim da Bíblia é um espaço dedicado à comunhão com Deus.

www.unasp.br/mab

Descubra toda história e cultura que a Bíblia carrega.

No final da tarde, já tendo visitado o Campus e o Museu, seguimos para HOLAMBRA, que em 1988 recebeu o título de Estância Turística do Estado e, em 2011, o de Capital Nacional das Flores. O nome é formado pela junção das palavras Holanda, Américas, Brasil e foi dado em virtude da colônia neerlandesa que se fixou na antiga e desabitada FAZENDA RIBEIRÃO. www.portaldeholambra.com.br

 

 

 

 

 

 

 

 

A Holanda é uma região dos Países Baixos que inclui as principais cidades, como Amsterdam (capital), Roterdam (onde fica o maior porto do mundo) e Den Haag (onde fica a monarquia). Um país muito pequeno, mas berço de grandes marcas como Heineken, KLM, Amestel, Shell, C&A, Booking, Endemol, Akzo Nobel, Philips, ABN Bank, Makro, entre outras.

Em consequência da devastação causada pela 2ª Guerra Mundial, meados de 1948, o governo neerlandês estimulou a imigração de parte da população e o Brasil foi o único país a permitir a vinda de grandes grupos católicos. Com consentimento do Governo Neerlandês, a Associação Neerlandesa dos Lavradores e Horticultores Católicos enviou uma comissão para o Brasil para coordenar a imigração dos holandeses. Um grupo de aproximadamente 500 imigrantes, provenientes da província de Barbante do Norte, imigrou para o Brasil e se estabeleceu na Fazenda Ribeirão, onde em 14/07/1948 fundou a colônia de Holambra e a Cooperativa Agropecuária de Holambra, com o objetivo de produzir leite e laticínios. Como o gado holandês trazido pelos imigrantes foi dizimado por doenças tropicais, optaram pela suinocultura e a criação de galinhas. Com a vinda, em 1951, de um novo grupo de imigrantes holandeses, teve início o cultivo de flores com a produção de gladíolos (espada). Em 27/10/1991, Holambra se emancipou e sete anos depois o município recebeu o título de Estância Turística.

Pioneiros e seus descendentes ajudam a manter costumes e tradições de sua terra natal, observados na gastronomia, na arquitetura, nos símbolos desenhados nas calçadas (tamancos, moinhos, tulipas), no hábito de andar de bicicleta, nos eventos realizados pela comunidade, na dança folclórica, no idioma holandês (ainda utilizado, embora cada vez menos) e em muitos outros aspectos que podem ser observados pelo olhar de quem procura viver essa irresistível experiência. A arquitetura colonial holandesa, famosa por suas cores e formas, pode ser vista por toda a região central da cidade – o que garante a ela um charme diferenciado. Os muitos lagos, áreas verdes e paisagens bucólicas ajudam a reforçar essa experiência, proporcionando aos visitantes a sensação de estar a milhares de quilômetros de distância de uma região metropolitana.

A cidade conta com um extenso e diverso calendário de eventos voltados para a promoção de cultura e lazer e para o fomento da atividade turística: a celebração do DIA DO REI, que reúne tradições holandesas e uma prova de caminhadas de longas distâncias pelos principais cartões postais da cidade e a magia do NATAL DE HOLAMBRA, que transforma mais de 100 mil m² de área em reluzente e encantadora cidade do Papai Noel. O município oferece mais de 15 eventos e festividades ao longo do ano, como o TREKKER TREK – um campeonato de tração de tratores especiais, equipados com até seis motores e turbinas de avião e o ENCONTRO de VEÍCULOS ANTIGOS, que reúne aproximadamente 200  automóveis e expositores vindos de todo o Brasil – 70% deles com placas pretas (carros restaurados e de coleção), sendo considerado o maior evento coberto do segmento no Brasil, entre os dez maiores eventos do país. Esses e outros atrativos trazem, todos os anos, aproximadamente um milhão de turistas de dentro e fora do país à cidade das flores.

DIA DO REI, originalmente, Dia da Rainha, surgiu para comemorar o aniversário da Rainha Wilhelmina, ocupante do trono real em 1891. Desde então, o evento acontece sempre no dia do aniversário do monarca regente atual. O festival se inicia com uma prova de caminhadas de longas distâncias, que percorre os principais pontos turísticos da cidade e a festa continua com apresentações artísticas e folclóricas em frente ao Moinho Povos Unidos, ponto de partida e chegada da Corrida do Rei.

No TREKKER TREK, cada trator deve puxar uma carreta com peso móvel que vai ficando mais pesada à medida que avança pela pista. Quando o motorista consegue chegar ao final da reta de 100 metros, acontece o ‘Full Pull’. Se dois ou mais tratores conseguirem o Full Pull’, eles precisam refazer a prova com uma carga mais pesada. Ganha aquele que conseguir percorrer a maior distância com maior peso. Original dos Estados Unidos, a competição era feita por fazendeiros que tentavam arrastar uma pedra grande a maior distância possível. A partir dos anos 70, começaram a construir máquinas mais potentes, com até quatro motores. Nessa mesma década o esporte foi levado para a Holanda, onde ficou mais conhecido. O esporte chegou ao Brasil em 1992. A primeira competição realizada em Holambra, foi organizada por descendentes de holandeses que já conheciam o esporte no país europeu.

No mês de dezembro, para uma inesquecível experiência natalina, repleta de encantos e magia para todas as idades, o espaço da Expoflora é transformado em uma belíssima Vila de Natal, que abriga toda a programação artística, cultural e folclórica do Natal de Holambra – uma das principais festas de fim de ano de todo o Estado de São Paulo. Em uma área de aproximadamente 100 mil m², a festividade reúne mais de dois milhões de luzes, dezenas de figuras robotizadas em tamanho real e mais de 200 peças que trazem o espírito natalino para dentro da única Estância Turística da Região Metropolitana de Campinas. Entre as atrações está o Presépio Vivo, encenado por atores voluntários da comunidade. Através de um percurso temático, o visitante participa de um grande espetáculo teatral ao ar livre que, todos os anos, busca trazer reflexões sobre temas universais como paz, amor e solidariedade

A cidade oferece também um roteiro rural que encanta, surpreende e fascina quem visita a Estância Turística em busca de tranquilidade e contato com a natureza. Passeio pelas plantações de flores, café típico com produtos da fazenda, encontro com jacarés, produção de cachaça artesanal, animais em campo, passeio a cavalo entre muitas outras atrações no suave e harmônico ritmo do campo. São atrações para os turistas das mais diferentes idades, crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos.

Cavalgada pelo campo ou ao luar, Estrada do Fundão, s/nº – Fundão – (19) 3802-1433

> 03 a 06/07/2024, hospedagem no HOTEL FLORES DE HOLAMBRA, Rua Bromélias, 125 – (19) 99950-3352. A localização é ótima. O hotel é muito agradável e acolhedor, sendo visível o cuidado com que tudo é conduzido. O quarto tem bom tamanho, é também um ambiente agradável e muito bem cuidado. O café da manhã é excelente, servido num ambiente muito bonito. A equipe de funcionários é jovem e atenciosa. A TV tem limitação de canais e a partir das 22 horas o hotel não tem recepcionista, a entrada é por identificação facial. Se me perguntar onde eu ficaria voltando a Holambra, ficaria com eles novamente.

“Holambra, afinal, vive das flores. Cheira a flores. E  até oferece uma gastronomia a base de flores – são pratos e sobremesas com ingredientes veja só, ‘floridos’, como rosas, lavanda e hibisco.”

(Daniel Akstein Batista, em Melhores Destinos)

Em Holambra acontece todos os anos a EXPOFLORA, a maior exposição de plantas e flores da América Latina. Responsável pela vinda de mais de 300 mil turistas à cidade todos os anos durante o mês de setembro, a exposição encanta públicos de todas as idades com arranjos produzidos por decoradores renomados e atrações únicas como a belíssima Chuva de Pétalas, que une a delicadeza das flores ao misticismo de sua experiência: quem consegue pegar uma pétala antes de ela tocar o chão, dizem, terá seus desejos realizados. Danças típicas, sabores da culinária europeia e inúmeras outras maravilhas, como as tradicionais apresentações da Fanfarra Amigos de Holambra, envolvem e cativam aqueles que percorrem os cerca de 250 mil m² de área de exposição, repleta de construções com fachadas coloniais holandesas. A Expoflora é Holambra em seu melhor.

41ª EXPOFLORA – 30/08 a 29/09/2024

Ainda voltado para floristas, artistas florais e decoradores acontece o ENFLOR (Encontro Nacional de Floristas), uma feira de negócios em que os participantes podem conferir tendências e conhecer o que há de mais novo em flores, plantas ornamentais, embalagens, presentes, ferramentas e acessórios de arte floral. Vitrines com ambientes decorados por grandes nomes do setor também fazem parte da mostra, que conta ainda com cursos, palestras, oficinas e eventos exclusivos. O GARDEN FAIR (Exposição de Tecnologia em Jardinagem e Paisagismo), por sua vez, se destina a paisagistas, arquitetos, decoradores de áreas externas, empreendedores imobiliários e mantenedores de jardins e áreas verdes. A exposição reúne cerca de 170 expositores todos os anos, além de oferecer congressos, palestras, demonstrações práticas e visitas.

31ª ENFLOR & 19ª GARDEN FAIR – 14 a 16/07/2024

Mais do que uma Estância Turística, Holambra é reconhecida nacional e internacionalmente por sua vocação para a produção de belíssimas flores que enfeitam casas, parques e jardins de todo o Brasil e encantam homens e mulheres de todas as idades. Com aproximadamente 40 km² de área rural, a cidade é responsável por cerca de 50% do mercado florista do país, além de contar com diversos mercados especializados em vendas por varejo que garantem aos visitantes a oportunidade de levar para casa um pouco da magia das famosas flores holambrenses, diversas nas cores, cheiros, formas e tamanhos.

Toda essa beleza, que encanta os brasileiros dos quatro cantos do país, pode ser vista também, durante todo o ano, em passeios guiados pelos campos de produção. São mais de 400 fazendas e produtores que plantam para a Cooperativa de Holambra. Os campos de flores estão sempre coloridos durante o ano todo, cada espécie em seu tempo. Nem toda fazenda produtora de flores e plantas está aberta a visitação, algumas só através de agências de turismo local: a Oma Glas Turismo, Real Receptivo e Theos Turismo são algumas delas.

Holambrasil Turismo Receptivo, Rua Campo de Pouso, 1126 (próximo à loja A Orquídea) (19) 98199-0072 www.holambrasil.com.br

Theos Turismo Recptivo Rua Primavera, 936 – sala 2, Praça Vitória Régia, Centro – (19) 3802-4675 / (19) 99168-2199 www.theosturismo.com.br

Holambra é uma cidade tipicamente holandesa, onde os estabelecimentos comerciais são incentivados, através do desconto no IPTU, a optar pelo estilo de construção holandês.

Apesar da cidade ser pequena (65 km²), com pouco mais de 15 mil habitantes (2020), não é em todo lugar que dá para chegar a pé. Com trânsito tranquilo, Holambra tem apenas um semáforo, localizado no cruzamento das Ruas Rota dos Imigrantes e Dr. Jorge Latour.

Na cidade de Holambra, vários prédios e casas tem arquitetura holandesa. A origem desses prédios é de Amsterdã, capital do país. São vários tipos de fachadas, dentre eles, a fachada da escada, quanto maior a escada, mais rica a pessoa era.

Assim como na arquitetura, a interferência da colonização holandesa faz da gastronomia da cidade uma experiência à parte do que oferecem restaurantes ou docerias de outras localidades do país, com seus temperos especiais aplicados desde o arroz até os tradicionais salsichões e à leveza de doces únicos, feitos a base de flores e outras especiarias igualmente surpreendentes.

Após chegarmos e nos acomodarmos, fomos caminhando até a PRAÇA VICTORIA RÉGIA, localizada no LAGO VICTÓRIA RÉGIA e seu DECK DO AMOR, inspirado em uma tradição francesa, Pont des Arts em Paris. O local serve como inspiração para os casais apaixonados e conta com um lugar onde os pombinhos podem colocar um cadeado com o nome do casal. Assim acontece em Paris, os apaixonados jogam as chaves do cadeado fora, neste caso no Lago Vitória Régia. O ato, segundo a tradição, simboliza que os amantes ficarão juntos para sempre. Uma barraquinha, ali mesmo, vende cadeados de tipos e tamanhos diferentes. Aí também tivemos oportunidade de ver uma grande quantidade de capivaras, o que torna o lago mais conhecido como LAGO DAS CAPIVARAS.

Fomos, depois, até o BOULEVARD HOLANDÊS, Rua Dória Vasconcelos, com suas casinhas coloridas no estilo holandês e onde estão lojas e bares. Holambra é também oportunidade para descobrir peças artesanais diferenciadas, souvenires de origem holandesa e ingredientes e especiarias tradicionais de países europeus. Entre os objetos disponíveis estão o folclórico tamanco holandês em versões de madeira e veludo, a belíssima porcelana pintada à mão e as criativas e inspiradas obras de artesanato local, encantadoras por sua simplicidade e bom gosto.

Os tamancos são feitos de uma madeira específica e muito leve. Protegem os pés do frio, mantendo-os aquecidos. Muitos fazendeiros ainda fazem uso do tamanco. As cores usadas indicam a região da Holanda a que cada um pertence.

A CASA BELA é um dos famosos restaurantes da cidade e possui uma loja de souvenirs da Holanda e de Holambra, exatamente nesse Boulevard. Vendem uma cerâmica holandesa específica, feita numa cidade da Holanda do século XVI. Tudo muito lindo nessa loja.

Estacionamos e ficamos na HOLAMBIER, esquina da cerveja artesanal. Com seu cardápio de petiscos tipicamente holandeses desenvolvidos para harmonização com diferentes tipos de chopes. Aí encontrei o delicioso chopp de vinho que conheci em Tombos – MG. HOLAMBIER – Cerveja artesanal tem história, aroma e sabor.

> 04/07/2024, começamos nosso dia com a visita previamente agendada ao MUSEU DE HOLAMBRA – MUSEU HISTÓRICO DA IMIGRAÇÃO, na Alameda Maurício de Nassau, onde se pode encontrar também o CORREDOR DOS GUARDA-CHUVAS. Os holandeses que chegaram na Fazenda do Ribeirão, vieram de navio, numa viagem que durava 3 semanas da Holanda para o Brasil. Desembarcavam em Santos e de lá pegavam um trem para Campinas, de onde seguiam de ônibus para a fazenda. Em frente ao museu há uma réplica do primeiro ponto de ônibus da cidade. Valeu muito a pena começar a visita a cidade conhecendo a história de Holambra e da Cooperativa. Além de um grande acervo fotográfico, filmes e relíquias que são atrativos, é possível vivenciar a realidade dos imigrantes em réplicas de casas de época tradicionais, casa de pau a pique e casa dos pioneiros, com mobiliário totalmente original. Funciona sábados, domingos e feriados, das 10 às 17 horas; durante a semana, com agendamento. R$ 60,00 para o guia + R$ 12,00/pessoa. Para mais informações (19) 97821-4241 (WhatsApp) www.museuholambra.com.br

 

“FINCOU A PÁ NA TERRA E A REVOLVEU. EM SEGUIDA OS OUTROS ASSIM O FIZERAM. COM ESTE ATO FOI DADO INÍCIO AO DESMATAMENTO DA FAZENDA E A PRIMEIRA COLÔNIA NO BRASIL DE AGRICULTORES HOLANDESES.”

 

 

Saindo do Museu, nos dirigimos ao BLOEMEN PARK, Sítio Laguna, Estrada Municipal HBR-155 – Alegre. Uma visita de arrepiar a alma. O empresário e produtor Miguel Esperança teve um sonho onde ele via pessoas caminhando em um parque tirando fotos em meio às flores e a natureza e em razão desse sonho, em 2020 foi inaugurado o mais completo ‘Parque das Flores’. Possuindo mais de 30 variedades de rosas, 100 espécies de árvores nativas, exóticas e frutíferas e 200 tipos de flores e plantas ornamentais em 40 mil m² de área cultivada, contando ainda com excelente gastronomia, com restaurante e quiosques, além de áreas kids, áreas de lazer, é pet friendly e, ao final, a saída se dá através de uma loja com plantas, flores e souvenirs. Dispõe de cenários fotográficos. Aberto de 3ª feira a domingo, das 9 às 17 horas. O restaurante abre para o café da manhã de 3ª feira a domingo, das 9 às 10:30 horas e após as 11 horas para almoço. Entrada no parque R$ 35,00/pessoa. Aí provamos os deliciosos croquetes holandeses + pannenkoeken, uma espécie de panqueca aberta, com bacon e abacaxi adicionados sobre a massa e com queijos gouda e prato gratinados, num espaço muito grande e agradável. Consta que a primeira receita oficial do ‘pannenkoeken’ surgiu na Holanda, em 1686, baseado em ingredientes simples como farinha, leite e ovos, alguns colocavam um pouco de açúcar. (19) 98174-1046 www.bloemenpark.com.br

Visitamos, ainda, a PARÓQUIA DIVINO ESPÍRITO SANTO, na Alameda Maurício de Nassau, 688, a mesma do Museu de Holambra.

Encerramos nosso dia na MARTIN HOLANDESA CONFEITARIA & RESTAURANTE, estabelecimento tradicional da cidade, fundado em fevereiro de 1955 como confeitaria e padaria pelo imigrante holandês Martin Heinrich Romualdus Gerritsen e sua esposa Diny Heister Gerritsen, com o objetivo de atender a comunidade holandesa que se formava em Holambra e sentia falta do pão e das bolachas. Único confeiteiro e padeiro à época, o Sr. Martin não apenas produzia os pães, como ainda, utilizava sua charrete para entregá-los em domicílio, quando necessário. Em 1988, o filho Frank Gerritsen assumiu a confeitaria junto com os pais, passando assim o legado de pai para filho. Em 2007, à frente da Martin Holandesa, o casal Frank e a esposa Kelly agregou o restaurante, passando a oferecer uma incrível experiência e imersão na gastronomia holandesa. Rua Dória Vasconcelos, 144. Aberta 2ª feira de 9 às 16 horas; de 3ª feira a sábado de 9 às 23 horas e domingo de 9 às 21 horas. Tem delivery (19) 3802-2662 (WhatsApp)  de 4ª feira à sábado, das 18 às 22 horas e domingo das 12 às 15 horas e das 18 às 21 horas. No nº 152, o Sushi Bloem. www.martinholandesa.com.br Aí experimentei e me apaixonei pela caipirinha de vinho com pedaços de morango acompanhando o Couvert Fusion, deliciosa fusão de diferentes sabores composta por queijo brie brülée (queijo coberto com açúcar cristal sob maçarico), presunto tipo parma, mel trufado, damasco, torradas Martin, mix de castanhas, microgreens e manteiga. Huuum …

> 05/07/2024, o dia teve início com uma degustação orientada de pimentas e geleias produzidas no SÍTIO JOELJER, na Estrada do Bairrinho, s/nº. Os irmãos João, Emerson e Rodrigo vieram do Rio Grande do Sul para a região de Holambra, no ano de 1986, com a ideia e a vontade de produzir algo natural nas terras de propriedade do pai, o Sr. João. A cultura escolhida foi a pimenta, e de lá para cá, começaram a desenvolver molhos, macerados, desidratados, geleias e licores, que combinam frutas com pimentas. Na visita são degustados 19 diferentes sabores de geleia com pimenta e molhos de pimenta com diferentes níveis de picância e 5 licores com frutas e pimentas. Destaque para o MOLHO DE PIMENTA NUCLEAR CAROLINA REAPER, originária dos Estados Unidos, de sabor delicioso e picância elevadíssima, o que a coloca no posto de ‘PIMENTA MAIS FORTE DO MUNDO’. Uma visita muitíssimo interessante. Durante a semana, é preciso agendar um horário; sábados e domingos das 10 às 17 horas. R$ 20,00/pessoa, revertidos na aquisição de produtos do sítio (19)99231-4334 (19)99120-2340 ambos WhatsApp

Para o almoço, o escolhido foi o THE OLD DUTCH, ‘velho holandês’. Serve pratos tradicionais holandeses. As receitas são originais da Holanda e representam o que o holandês comia no dia a dia, só que com algumas adaptações. A base é sempre batata, cozida, salteada, frita ou purê e com algum legume para acompanhar. Minha escolha foi o rookworst, salsichão defumado, servido com mostarda e patê de berinjela caseiro, fartamente servido. Só funciona para o almoço. Estrada do Fundão, 200. Aberto de 3ª a 6ª feira, das 11:30 às 14:30 horas e sábados, domingos e feriados, das 11:30 às 16 horas www.olddutch.com.br

 

Holambra ganha um reforço tipicamente brasileiro, saboroso e de aroma inconfundível. Produzida de forma artesanal nos fundos de um rancho cercado por terra e mato, a cachaça local, de alambique, é um aperitivo indispensável para quem aprecia o destilado de cana que se tornou símbolo nacional. José Roberto Marchesini, bisneto de imigrante italiano, em 2000, herda a terra de seus pais destinada à agricultura e promete a sua mãe tornar o sítio produtivo. Com o apoio da esposa, Kátia Clemente Marchesini e da filha, Thais Marchesini Sturion, começaram a produzir cachaça, em 2001, para manter a propriedade. Em 2004, expandem a produção e em 2006, em parceria com as entidades turísticas da cidade, abrem o primeiro empório para venda da cachaça, o RANCHO DA CACHAÇA. Devido a inúmeros pedidos dos clientes, que visitavam o Rancho para degustar a cachaça, saborear a comida de fogão a lenha e desfrutar da calmaria do campo, o casal decidiu proporcionar acomodações para os turistas e começaram a construir chalés. Atualmente, são 30 apartamentos e um restaurante com capacidade para 250 pessoas. A deliciosa cachaça holambrense pode ser degustada em diversos formatos: pelas tradicionais doses ou por meio de produtos derivados.  Degustação na adega, de 2ª feira a domingo, das 8 às 18 horas; visitação guiada com degustação só aos sábados e só para hóspedes, de 18 às 19:30 horas; almoço aberto ao público só nos finais de semana, das 12:30 às 14 horas, e hospedagem. Fizemos nossa visita com degustação orientada pelo Nicolas. Estrada Municipal HBR10, km 1,5, continuação da Avenida das Tulipas, Bairro Camanducaia. (19)3802-4658 / (19)99325-6208 www.ranchodacachaca.com.br

Retornamos ao MARTIN HOLANDESA CONFEITARIA & RESTAURANTE, para repetir a caipirinha de vinho com pedaços de morango e saborear uma sobremesa, no meu caso um cheesecake típico holandês preparado com massa de torta, recheada com creme à base de cream cheese com cobertura de geleia de framboesa Martin (Monchou Framboesa).

Encerramos a noite com uma deliciosa pizza da SERRANA PIZZARIA & RESTAURANTE, bem próxima do hotel, por delivery.

> 06/07/2024, um belíssimo passeio na MACENA FLORES, um dos principais campos de flores de Holambra, que funciona todos os dias com entrada a R$ 25,00/pessoa. O guia Jonas, biólogo marinho, nos levou às estufas e explica como funciona o processo de plantio, cultivo e colheita das flores e plantas. Conta com bar e loja. Aberto das 9 às 18 horas. Estrada HBR 60 – Jardim Alegre (19) 3802-2230 / (19) 99889-5303 / (19) 99977-0900 www.macenafloges.com.br

Holambra tem duas entradas, uma pelo PORTAL DE HOLAMBRA e, do outro lado da cidade, pelo PORTAL DO MOINHO,  ao lado o MOINHO DOS POVOS UNIDOS, com aproximadamente 90 toneladas de madeira; 38,5 metros de altura, semelhante à do Cristo Redentor (RJ), funcionava exatamente como as construções originais na moagem de grãos. Cada pá mede 12 metros de comprimento, gerando uma força suficiente para movimentar duas pedras de basalto de lava com o peso de uma tonelada cada. Ao todo são 10 andares, sendo seis abertos à visitação. O coração do moinho fica no 5º andar, onde é possível ver como as engrenagens trabalham e como os grãos eram triturados. É possível ver uma pedra mó de perto. Ainda no 5º andar, um mirante com visão privilegiada da cidade.

Construído em 2008 para comemorar o aniversário de 60 anos da imigração holandesa, o Moinho dos Povos Unidos é o maior moinho típico de grãos da América Latina e um dos principais atrativos turísticos do interior do Estado de São Paulo. O projeto, desenvolvido pelo arquiteto holandês Jan Heijdra, na época com 82 anos de idade, que carrega em seu extenso currículo obras e reformas em mais de 400 moinhos em sua terra natal, tem nesse uma réplica fiel dos primeiros moinhos construídos na Europa em meados do século XVIII.

Com certeza, os moinhos são um dos maiores símbolos das regiões da Holanda, ícone da cultura local e, alguns deles, são tombados como Patrimônio Mundial da Humanidade pela UNESCO. Em Holambra há um total de 25 moinhos.

Além de serem usados para a trituração de grãos, essas estruturas também eram utilizadas para drenar a água das chuvas para o mar, evitando inundações e favorecendo à agricultura no local. A Holanda é conhecida como Países Baixos, justamente por sua localização estar abaixo do nível do mar.

Os moinhos são estruturas mecânicas movidas pela força da natureza e isso pode ser realizado de diversas formas. Dependendo do que fazem e da energia que usam, eles possuem características diferentes. Podem ter pás, velas ou uma grande roda, ser cilíndricos, octogonais, estar em balanço, em cima de morros ou em outros tipos de bases.

Independentemente de suas estruturas, eles fazem parte da história da humanidade há muitos séculos. Os primeiros moinhos que se tem notícia são construções feitas antes dos anos 500, na região onde se localiza o Irã. Na época eram usados para fazer farinha, contudo, com o passar do tempo é possível identificar outras funções como o bombeamento de água, por exemplo.

O moleiro é o profissional responsável pelo moinho, só ele pode manipular e controlar toda a operação dessa imensa estrutura.

O Moinho dos Povos Unidos de Holambra preserva as características originais, portanto, a locomoção dentro do local é feita por meio de escadas. São seis andares abertos a visitação, com 15 degraus, totalizando 60 degraus, o difícil mesmo é descer todos eles de costas, já que muito estreitinhos.

Aberto a visitação de 4ª feira a domingo e feriados, das 10 às 17 horas. www.moinhopovosunidos.com.br

Da área do Moinho é possível ver o NÚCLEO DOS ARTESÃOS, uma série de lojinhas coloridas bem próximas, sendo possível ir a pé.

Daí fomos ao lado oposto da cidade passando pelo PORTAL DE HOLAMBRA e logo após passar por ele há uma fábrica de cervejas artesanais, STRAAT, que significa ‘Rua’ em holandês. A cervejaria pertence ao Grupo Carmona, empresa paulista que atua desde 1982 no mercado de equipamentos para chopp e distribuição de bebidas alcóolicas e não alcoólicas. Aproveitamos para almoçar no bar/restaurante por onde se entra no espaço.

 

Após o almoço, fizemos, já com saudades, nosso check-out, para começar o retorno para casa.

Além de campos e estufas, vale mencionar que a cidade concentra filiais das maiores empresas de desenvolvimento de tecnologia para sementes do mundo e é referência no segmento, sobretudo no setor hortícola, que cresce significativamente no país. Não por acaso, a cidade sedia anualmente, no mês de junho, a maior feira de horticultura da América Latina, a HORTITEC (Exposição Técnica de Horticultura, Cultivo Protegido e Culturas Intensivas), que traz cerca de 350 expositores do Brasil e do exterior, que apresentam as últimas novidades em instalações, equipamentos, insumos e demais tecnologias para flores, frutas, hortaliças, florestais e culturas intensivas. Em 2013, inspirado por iniciativas semelhantes adotadas na Holanda, a Prefeitura oficializou a condição de destaque do município ao estabelecer um Polo Tecnológico de Produção de Sementes, que tem por objetivo promover avanços de ordem técnica, científica, educacional, cultural e institucional por meio do trabalho conjunto entre o Poder Público, a iniciativa privada e instituições de ensino técnico e superior. Essa parceria pretende agregar conhecimento ao potencial de produção, trazendo novos investimentos e criando novas perspectivas, alavancando a economia local.

29ª HORTITEC – 19 a 21/06/2024

Mais uma informação, a estância turística de Holambra, no CIRCUITO DAS ÁGUAS PAULISTA, oferece um passeio para os ciclistas na chamada “ROTA DAS FLORES”. Com 14 kms de extensão, a ciclovia fica na rodovia municipal HBR-040 e proporciona ao visitante a experiência de pedalar com mais segurança. O projeto foi idealizado pelo Grupo CCR com apoio do Governo Estadual, com o propósito de atender os bikers que utilizam as rodovias para treino, passeio ou até mesmo deslocamento para o trabalho. A rota conta com sinalização própria para orientação dos usuários. De acordo com o grupo, há placas indicativas com QR Code nos pontos de partida do circuito, com informações detalhadas sobre o percurso, tendo sido mapeados 13 pontos de interesse cultural, lazer e educação, além de 24 pontos atrativos de alimentação e três pontos de apoio a ciclistas e bikes. O percurso ainda conta com lombadas para desaceleração dos veículos. Ao percorrer o trajeto, o ciclista tem a oportunidade de passar por sítios de produtores de flores, estufas de plantas ornamentais, entre outros locais que dão um aroma especial ao passeio de bicicleta. Além de Holambra, outras quatro rotas turísticas estão previstas no projeto, ao todo mais de 300 kms de vias implementadas para a prática do ciclismo – as primeiras CicloRotas CCR.

 

Famoso clipe de música gravado em Holambra: FLORES & AMORES, de Melin.

Nosso retorno, assim como nossa ida, foi em duas etapas, assim saímos de Holambra e fizemos nosso pit stop em PINDAMONHANGABA, 238 km, 3h37m. Ficamos num hotel para pernoite, o IBIS BUDGET PINDAMONHANGABA, multicolorido, muito pouco espaço, embora bem aproveitado e arrumado.

Para aproveitar o tempo que tínhamos até o horário de dormir, fomos conhecer o SHOPPING PÁTIO PINDA, inaugurado em novembro/2013, um bom shopping, com 115 lojas, boa praça de alimentação, 4 salas de cinema, supermercado, 1300 vagas de estacionamento. Escolhemos a CHOPPERIA DO PEREIRA, onde experimentamos e gostamos demais dos croquetes de carne e gorgonzola da Berna, delícia!!!

No dia 07/07/2024, retornamos ao Rio de Janeiro, 293 km, 3h36m, já pensando para onde será nosso próximo destino, afinal estou sempre sonhando …